INSTITUCIONAL

  • História

    O Educandário Nossa Senhora das Vitórias é uma instituição educativa católica autorizada pela Portaria nº 1311/2011/SEC/GS/RN, reconhecida pela Portaria nº 1310/2011 – SEC/GS/RN e reconhecida pela Portaria nº 380/82 – SEC/GS/RN para ofertar Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio.

    A Escola localiza-se no centro da cidade de Assú, Rua Augusto Severo, 200, e é dirigida por religiosas, Irmãs da Congregação das Filhas do Amor Divino, da Província Nossa Senhora das Neves, que tem em sua fundadora – a Madre Francisca Lechner – o exemplo de educar para a vida evangelizando crianças e jovens.

    As precursoras da missão educativa das Filhas do Amor Divino no Brasil foram as Irmãs: Teresina Werner e Constantine Resch, que se estabeleceram no Rio Grande do Sul no ano de 1920 e em 1925 chegaram ao Rio Grande do Norte, para residirem em Caicó, iniciando, assim, o trabalho educativo no nosso estado.

  • O Início de Tudo...

    Francisca Lechner... nasceu no Império Austro-húngaro e viveu sua trajetória de educadora no século XIX: uma mulher que teve ideais de justiça e solidariedade humana muito além do seu tempo e que tornou realidade o sonho de ver as Filhas do Amor Divino difundindo o Evangelho de Jesus Cristo através da máxima: Tudo por Deus, pelos pobres e por nossa Congregação.

    Iniciava-se a caminhada das Filhas do Amor Divino pelo mundo, vencendo as distâncias geopolíticas e as dificuldades da língua para chegar ao Brasil. Neste processo contamos com o ardente zelo missionário e ilimitado espírito de vanguarda de Ir. Teresina Werner, protagonista da expansão da Congregação para além das fronteiras do Império Austro-húngaro até a sua chegada ao Brasil.

    Convidadas para dirigirem uma escola em Assú, desejo dos assuenses que viam a cidade progredindo em sua movimentação social, comercial e cultural, sendo conhecida em outros estados do país através de seus poetas, jornalistas e escritores, as Filhas do Amor Divino aceitaram o desafio e, no dia 22 de fevereiro de 1927, aqui chegaram procedentes de Viena – Áustria, as Irmãs Jaromira Ondra (Superiora), Alberta Garimberti, Digna Taudes, Volkmara Stanoscheck e Mercedes Fontan, acompanhadas da Ir. Teresina Werner, superiora do Educandário Santa Teresinha de Caicó/RN, encarregada de introduzi-las na terra dos verdes carnaubais e servir-lhes de intérprete, visto que nenhuma delas sabia falar português e em Assú não havia quem falasse alemão. Aqui assumiram, em nome da Congregação, desejosas de darem continuidade ao trabalho missionário iniciado por Madre Francisca Lechner, a direção do Colégio Nossa Senhora das Vitórias, que foi solenemente inaugurado no dia 09 de março de 1927, com a presença do Sr. Bispo Dom José Pereira Alves, autoridades eclesiásticas e civis estaduais e municipais, idealizadores e executores do projeto e do povo em geral.
    O Colégio teve uma matrícula inicial de 32 alunas, visto que ele fora pensado para a educação da mulher. Mas, já no ano seguinte, os homens também foram aceitos como alunos, o que permanece até os dias atuais.

    Ao longo dos tempos o “Educandário” promoveu a introdução de vários cursos e profundas reformas em seu espaço físico. Muitos dos filhos ilustres da “Terra dos Poetas” e de todo o Vale do Assú, aprenderam as primeiras letras nesta casa educativa, tendo acesso a disciplinas e conteúdos que concretizaram uma educação de qualidade e de incentivo à formação integral de seus alunos. Desde a sua construção, não se pode falar na história do Assú sem mencionar o Educandário Nossa Senhora das Vitórias; há poucas famílias que não tenham membros entre os que por aqui passaram e isso se comprova também, quando se deu a incorporação da “Escola dos Pobres São José” à estrutura do Educandário Nossa Senhora das Vitórias, escola que funcionou até o início da década de 2000, demonstrando que as Filhas do Amor Divino vieram para trabalhar na educação de todo o povo assuense e não apenas de uma classe social, realizando a máxima de Madre Francisca Lechner: “Fazer o bem, alegrar, tornar feliz e conduzir ao céu”.

  • Missão

    Inserido no contexto contemporâneo, o Educandário Nossa Senhora das Vitórias oferta a educação básica em todos os níveis e conta com uma equipe de profissionais formada por religiosas e leigos que atuam na docência e no suporte pedagógico, habilitados para as funções que exercem, numa ação conjunta, solidária e fraterna que contribui para “unir numa síntese harmoniosa o Evangelho e a cultura, a fé a vida”.

    Ao chegar aos 88 anos de funcionamento, o Educandário apresenta-se renovado, buscando inserir-se cada vez mais no seu meio e no seu tempo. Sua estrutura física está se modernizando sem perder a arquitetura inicial que conta muito de sua fundação e história. É uma escola que vem se equipando para responder aos anseios do seu alunado, às exigências da educação brasileira e para viabilizar uma prática pedagógica participativa e dinâmica, fundamentada nos valores do Evangelho, integrada à família e à comunidade, resgatando os valores e a dignidade da pessoa humana através do diálogo e da co-participação.

    A postura educativa do Educandário Nossa Senhora das Vitórias vai além do “ensinar conteúdos”, abrangendo o testemunho ético e o compromisso com que o faz. É a preparação científica para entender e intervir na vida, utilizando-se dos princípios cristãos para que a formação do aluno se dê de maneira integral e holística. Assim, a ampliação dos saberes da experiência se dá a partir do trabalho pedagógico e da integração entre as diversas áreas do conhecimento, transformando-os em saberes científicos essenciais para o desenvolvimento das competências e habilidades exigidas pela sociedade moderna. Dessa forma, o Educandário concretiza a coerência entre o que se diz, o que se escreve e o que se faz.

    Sob a proteção de Deus, as bênçãos da Madre Francisca Lechner, a intercessão de Nossa Senhora das Vitórias, o Educandário Nossa Senhora das Vitórias continuará a educar crianças e jovens, unindo o humano e o tecnológico, colocando-os a serviço da construção de um mundo mais humano, justo e fraterno.

  • Palavra da Diretora

    Assim como as pessoas são únicas, também as escolas o são. Este sentimento de “Ser patrimônio PRONEVES” é ser convicto de pertencer a uma construção que alicerça gerações através dos tempos. É um documento de identidade que, ao invés de um número de registro, filiação, cidade e data de nascimento, informações valiosas para identificar o "dono", registra uma similitude de valores, convicções, missão... Acreditamos que a vida de cada um de nós é composta por uma sucessão ininterrupta de escolhas. Fazemos escolhas todo o tempo, desde as mais simples e “automáticas”, até as mais complexas, elaboradas e planejadas. Por isso, agradecemos por nos escolherem. Para nós, é uma enorme satisfação poder partilharmos com você todo o nosso ambiente escolar alicerçado com amor por tantas gerações.

    Acreditamos numa escola que trabalha em parceria com as famílias, que respeita as vivências e a individualidade da pessoa, estimula a partilha e a solidariedade entre todos e dá a cada aluno condições para descobrir o melhor de si mesmo. Acreditamos numa escolaridade que acompanha a vivências do aluno e que o desperta para o mundo e para a cidadania.

    Acima de tudo, acreditamos numa escola que reflete, pondera, ajusta-se e adapta-se permanentemente aos seus alunos e às suas condições. Esse é o grande desafio que assumimos aqui, hoje e todos os dias: ser uma escola aberta, sensível às necessidades das crianças e dos jovens que aqui estudam, empenhada na tarefa de educar para além de instruir e onde os alunos se sintam felizes e motivados. Queremos que você, aluno, encontre na escola um espaço de partilha e de descoberta, de desenvolvimento de competências e de valores e, acima de tudo, de respeito, afeto e amizade, onde cada um vê o seu valor reconhecido e que é importante e útil para si e para os outros, onde, ao final de nossa vivencia letiva, fique em cada um de nós “sempre um pouco de perfume” que exale em todos os lugares onde a vida nos levar e que sempre nos recorde “SOU PATRIMÔNIO PRONEVES, levo minha escola no coração”.

    Irmã Maricélia Almeida de Farias
    Diretora Geral

  • Projeto Político Pedagógico

    Os eixos norteadores da proposta pedagógica do Educandário Nossa Senhora das Vitórias fundamentam-se no PPP da Província Nossa Senhora das Neves – PRONEVES e nos princípios do seu PPP, a partir da MISSÃO de: promover a formação de cidadãos conscientes, íntegros, solidários e fraternos, comprometidos com o desenvolvimento da ciência e da cultura, testemunhando a fé cristã a serviço dos valores indispensáveis à vida com base em uma VISÃO DE FUTURO que busca consolidar o seu reconhecimento como instituição de primazia educacional pela formação cristã e qualidade pedagógica, oferecendo um ambiente favorável ao bem estar de todos que a integram.

    Nesse contexto, o Educandário Nossa Senhora das Vitórias se propõe a contribuir para a construção de uma sociedade inclusiva, democrática, plural e justa; ecologicamente sustentável; humanizada, humanizadora e solidária; pacífica e feliz; articulada e mobilizada popularmente; consciente, conscientizadora e reflexiva, capaz de superar as ideologias manipuladoras.

    Para tanto, apresentamos uma proposta curricular que pressupõe etapas em que os saberes e fazeres dos sujeitos são planejados de diferentes modos e em múltiplos espaços. Ele não é estático. Ocorre num rico processo, visto que o saber escolar é construído e reconstruído numa constante relação com as experiências do cotidiano, observando-se os seguintes elementos: o que ensinar; quando ensinar; como ensinar; quem, como e quando avaliar, pois, como afirma Therrien (2006): “A intervenção pedagógica é moldada por uma racionalidade que lhe confere especificidade fundante: a conciliação harmoniosa das dimensões de instrução e de formação humana, de preparo profissional e de formação para a cidadania.”

    A linha pedagógica adotada pelo Educandário Nossa Senhora das Vitórias tem fundamento básico nas Teorias Críticas da Educação, com um enfoque pluralista, pois adota procedimentos didático-pedagógicos de sete teóricos críticos: Habermas, Piaget, Vygotsky, Paulo Freire, Wallon, Freinet e Edgar Morin. Esse enfoque pluralista supera o dogmatismo e fechamento em uma só postura metodológica e os perigos do ecletismo inconsequente e vazio, pois encontra fundamentos e unidade na linha teórica básica – a Teoria Crítica, servindo de paradigma para escolhas na diversidade das ações pedagógicas, dando segurança teórico-prática ao oportunizar a ampliação e determinação dos limites das ações da escola, além de exigir uma permanente discussão da aprendizagem como um processo lógico e, ao mesmo tempo, comunicativo, interativo e dialógico. Somente esta visão pluralista da educação dará conta da diversidade sociocultural da sociedade contemporânea, presente na escola (PPP ENSV, 2006).

    Nossa proposta exige um educador que tenha conhecimento acerca do aluno como sujeito da educação, levando em consideração como este aprende, pois, aprender é concebido como um ato de construção do conhecimento da realidade concreta, por meio de aproximações sucessivas. O aprendido não decorre da memorização, mas do nível crítico de conhecimento, ao qual se chegará pelo processo de compreensão, reflexão e crítica. Aprender significa, assim, passar de uma visão sincrética e ingênua da realidade (senso comum) para uma visão sintética, clara e unificada dessa mesma realidade (senso crítico), mediatizada pela análise que se faz por meio do conhecimento trabalhado (PPP ENSV, 2006).

    Assim, o educador do ENSV sempre leva em consideração os princípios básicos de organização educacional escolar: a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, o Plano Nacional de Educação, os RCNEI, PCN’s e PCNEM, o Regimento Escolar, o Projeto Político Pedagógico da Província e o Planejamento anual e bimestral que contemplam as atividades socioeducativas esculturais desenvolvidas ao longo do período letivo.